Transparência?

Assistindo a última sessão da Câmara, fica evidente a mistura ou interferência do Poder Executivo no Poder Legislativo. Se de um lado, em princípio não há problema do governo buscar manter a maioria na Câmara, o estranho é praticamente ter a Casa na mão, abafando vários problemas do município. Nas falas dos vereadores fica difícil saber quem é o líder do governo. Parece que quase todos disputam essa tarefa. Em relação ao SAMAE, onde o fogo amigo fez denúncias graves sobre a autarquia, parece razoável uma investigação mais efetiva, já que a denúncia partiu de dentro do governo. É evidente que há uma briga por espaço, mas a questão vai além disso. Nessa busca por espaco, qual método está sendo usado? Há irregularidades ou não? Na sessão da Casa Legislativa a equipe que representou o SAMAE atendendo um requerimento feito pela Câmara, disse que providências estão sendo tomadas, disse ainda que foram diminuídas as gratificações, que aconteceu demissão e ao mesmo tempo falou que as denúncias são vazias. Vazias? A equipe do SAMAE estava mais preocupada em defender a autarquia, o que é compreensível, mas ficou muito superficial a abordagem sobre as providências tomadas e como está sendo conduzido todo esse processo. Sem acompanhamento da sociedade ele fica fragilizado. Pelo visto a coisa tem tudo pra ficar apenas nessa conversa.Os servidores do SAMAE mereciam uma investigação mais profunda para serem poupados de suspeitas que não merecem por causa de gente que, infelizmente, pode manchar o nome da autarquia. Fica a pergunta: Estariam tomando apenas as providências miúdas, quem também são importantes, mas deixando de aprofundar as denúncias graves? Por que a Câmara ainda não chamou os que denunciaram para uma conversa? Não seria esse o melhor caminho para a tal transparência que faz parte do discurso dos que ocupam a Tribuna da Casa?