“O SAMAE VIROU UM CHAPÉU VELHO DO AVESSO” 

PRINT DE C0NVERSAS DE WHATSAPP

Qualquer leitor desavisado, certamente creditará a frase usada como manchete à um oposicionista do governo do Prefeito Ari Vechi, ou a um desafeto, mas a verdade é que tal afirmação foi proferida por uma das maiores autoridades da atual gestão da Prefeitura de Brusque, o Procurador Geral, Dr. Edson Ristow.

Nas últimas semanas e meses, o SAMAE tem sido objeto de denúncias, que revelam a existência de um grandioso esquema de corrupção, malversação de recursos públicos, tráfico de influência, uso político do órgão e cometimento de fraudes e de crimes dos mais variados.

Sabe-se que a vitória de Ari Vechi, na eleição de 2020 à Prefeitura de Brusque, veio ao custo de coligações com diversas figuras carimbadas da política local. Uma dessas figuras, chama-se Jones Bósio, ex presidente do DEM de Brusque e atual comandante do PTB local.

O apoio de Jones Bosio à Ari Vechi não foi despretensioso, mas tem custado o saciamento de uma enorme ‘gula” por cargos comissionados da Prefeitura de Brusque. Jones conseguiu nomear diversos cargos importante na gestão de Ari Vechi, tendo nas suas mãos, através da nomeação de apadrinhados políticos, o controle do Zoobotânico, da Defesa Civil e do tão desejado SAMAE, que é a autarquia responsável pelos serviços de “água e esgoto” de Brusque. Jones Bósio há muito tem problemas diversos com a justiça e coleciona uma série de condenações, inclusive por fraude em licitação, da época em que era Diretor da extinta SDR de Brusque. Mais recentemente, foi alvo de denúncia de comandar um esquema de pagamento de rachadinha dentro da Prefeitura de Brusque.

Mesmo com tais condenações e denúncias, Jones manteve a sua influência junto ao governo Ari Vechi, que entregou, e tem mantido, nas mãos do aliado, o direito de escolher o presidente do Samae, entre diversos outros cargos importantes. Para o SAMAE, Jones escolheu a dedo o seu amigo, e supostamente agora sócio em uma pizzaria da cidade, Luciano Camargo!!! Os denunciantes alegam que Luciano e Jones teriam aberto uma pizzaria no centro de Brusque, como forma de “lavar” dinheiro do SAMAE.

Jones Bósio e Luciano Camargo, como indicam as denúncias apresentadas ao Ministério Público e ao Procurador Geral de Brusque, transformaram o SAMAE em uma filial de sua agremiação partidária, tratando aquela autarquia como se fosse uma propriedade particular de ambos, privilegiando amigos, pagando bônus vultosos a parentes e aliados, perseguindo desafetos e empreendendo uma gestão desastrosa (e até criminosa) que transformou o Samae em um chapéu velho do avesso, como declarou o Procurador Geral, Dr Edson Ristow, em um áudio enviado a terceiro, ao qual tivemos acesso.

As denúncias gravíssimas feitas por servidores do SAMAE, contra Luciano e Jones, narram condutas e fatos que, se comprovados, demonstrariam que o Samae estaria sendo comandado por uma organização criminosa. As denúncias listam a ocorrência de:

• Relatos de funcionários (inclusive com cargo de chefia) que trabalham embriagados;

• Funcionários que estariam realizando tráfico de drogas dentro do Samae; • Funcionários estariam se utilizando de veículo oficial do Samae para buscar drogas junto a traficantes da região;

• Realização de jogatinas durante horário de trabalho, inclusive com a participação do presidente do SAMAE;

• Cometimento de fraude em processo seletivo, sendo antecipadamente entregue cópia de gabarito para aliado de Jones poder ser aprovado em tal processo;

• Relatos de que o Presidente do Samae teria enviado pizza e cerveja para funcionários consumirem durante horário de trabalho;

• Funcionários que dormem durante o horário de trabalho

• Relatos de que comumentemente o presidente do Samae encaminha funcionários da autarquia para fazerem serviços particulares à amigos seus;

• Que materiais são desviados do Samae para propriedades particulares de aliados de Jones e Luciano; • Conluio com fornecedores, que causam prejuízos aos cofres do SAMAE;

• Entre outras… Um dos denunciantes, inclusive, acusa o cunhado de Jones Bósio, Juliano Pereira, o qual ocupa um cargo de chefia na atual gestão do Samae, de ter direcionado para um sítio de sua propriedade, diversos bens desviados do Samae, bem como comprovou por mensagem telefônica (via Whatsapp), que foi Juliano Pereira quem lhe encaminhou, antecipadamente, o gabarito da prova do processo seletivo para o cargo de encanador, para o qual o denunciante não possuía experiência alguma: O Ministério Público já se encontra em poder das evidências trazidas pelos denunciantes e o Samae deve em breve virar alvo de investigação daquele órgão.

A vereadora Marlina, do PT de Brusque, na semana que se passou, protocolou na Câmara de Brusque dois pedidos de informações ao SAMAE, justamente em virtude destas denúncias, o qual deve ser apresentado na sessão da câmara de amanhã. Resta saber como tal pedido será recebido e se será aprovado por seus pares. Na semana que se passou, nos bastidores da Câmara de Brusque, alguns vereadores já tentavam agendar uma reunião dos parlamentares com o Presidente do SAMAE, Luciano Camargo, buscando antecipar alguns possíveis movimentos da elite política da cidade, já que na última sessão realizada teria aportado naquela casa, um oficio enviado por Luciano Camargo ao Presidente Alessandro Simas, relatando o seu descontentamento por estar sendo investigado, inclusive pelo Procurador Geral de Brusque, que já teve desentendimento públicos com o padrinho de Luciano, Jones Bósio.

Conversas de bastidores anunciam que o governo de Ari Vechi tentará se livrar de Luciano Camargo, para que o escândalo que se avizinha não respingue na prefeitura.

Por outro lado, Luciano Camargo se movimenta, tentando sobreviver política e fisicamente, já que afirmou a vereadores que tem sido alvo de ameaças de morte. Estamos distantes da guerra entre Ucrânia e Russia, mas tudo indica que algumas “bombas” irão explodir nas próximas semanas e conforme elas forem sendo lançadas, serão acompanhadas por este Jornal, que cumprirá o seu papel de informar o cidadão brusquense quanto ao desenrolar deste caso vergonhoso e lamentável.