Fórum Sindical apresenta nova identidade visual

O Fórum de Entidades Sindicais de Trabalhadores de Brusque e Região aprovou nesta segunda-feira, 9 de maio, sua nova identidade visual, durante reunião realizada na sede do Sindicato dos Mestres e Contramestres na Indústria de Fiação e Tecelagem de Brusque (Sindmestre). A logomarca vem para enaltecer os trabalhos realizados pela instituição, que agrega 11 sindicatos de trabalhadores e atua desde 2011 com o principal objetivo de discutir e promover melhorias de interesse da classe trabalhadora e da comunidade em geral, como saúde, segurança pública e infraestrutura.De acordo com a coordenadora do Fórum, Marli Leandro, o objetivo da nova identidade visual é de transmitir esses valores, de forma clara e objetiva, para criar um bom relacionamento da instituição, também como ser percebida pelos sindicatos e trabalhadores como um símbolo de luta e defesa das classes a qual representa. “O Fórum Sindical é a instituição que agrega a maioria dos sindicatos de trabalhadores de Brusque e da região, ou seja, ele representa os sindicatos que atuam pelas maiores e principais classes de trabalhadores e estamos imbuídos nessa missão de melhorias nos ambientes de trabalho, pois compartilhamos das mesmas lutas dos sindicatos. Esta nova identidade visual vem com o intuito de sermos ainda mais reconhecidos enquanto instituição”, enfatiza.A nova identidade visual, que passará a estampar todos os materiais informativos e redes sociais do Fórum, conta com o elemento gráfico inspirado na mão erguida, que representa a luta, e no escudo, que simboliza proteção e defesa. Como proposta de tagline a logomarca vem acompanhada da frase ‘Unidos somos mais’, demonstrando de forma clara os objetivos do Fórum Sindical: unido e alinhado com as necessidades dos sindicatos o qual representa.  Cesta básica e demais assuntosDurante a reunião, os dirigentes sindicais debateram sobre diversos assuntos, entre eles, o levantamento e análise de preços dos produtos que compõem a cesta básica em Brusque, realizado por muitos anos pelo Dieese. A intenção do Fórum Sindical é que o estudo seja retomado no município e uma reunião deverá ser agendada com um representante do Dieese para discussão da proposta. O objetivo é obter dados econômicos importantes aos trabalhadores e trabalhadoras.Também na pauta dos trabalhos, foi feito um panorama sobre as negociações coletivas dos sindicatos neste primeiro semestre de 2022. Uma das sugestões é realizar um trabalho para incluir, no ano de 2023, uma pauta conjunta dos sindicatos. “Vamos fazer estudos para trabalhar uma cláusula que todos os sindicatos poderão incluir igualmente em seu rol de reivindicações. Entendemos que podemos avançar muito, de forma unificada”, ressalta Marli Leandro.A Pauta da Classe Trabalhadora aprovada por unanimidade no mês de abril, durante a Conferência da Classe Trabalhadora (Conclat) realizada em São Paulo, foi trazida à discussão na reunião do Fórum. O documento, será entregue a todos os candidatos às Eleições deste ano, que se reunirem com o Fórum Sindical. Ao todo, são 63 reivindicações e propostas divididas em quatro eixos: Prioridades; Desenvolvimento Sustentável com Geração de Emprego e Renda; Trabalho Emprego e Renda e Estado; e Políticas Públicas. A Pauta defende, entre esses 63 itens, a instituição de uma política de valorização do salário mínimo, um programa de renda básica, políticas de geração de trabalho e renda, proteção dos desempregados, revisão da política de preços para produtos essenciais. “Temos este documento que representa os anseios da classe trabalhadora, as melhorias necessárias e disponibilizaremos a todos os candidatos que nos procurarem para apresentar suas propostas”, complementa a coordenadora do Fórum.